Resenha: Becky Bloom: Delírios de consumo na 5ª Avenida, Sophie Kinsella

Mais um post da saga de Becky Bloom, falando agora do segundo livro e o meu favorito. Para quem quiser ler a resenha do primeiro livro é só clicar aqui.

Eu li o texto antes de postar e vi que os spoilers que aparecem aqui já aparecem na contracapa e na orelha do livro, então podem ler sossegados. ^_^

A capa é a mesma da edição britânica

Um adendo à resenha anterior: não mencionei os outros personagens da série, mas podem sempre contar com a presença de Suze (a melhor amiga podre de rica), Luke (atualmente, o namorado), os pais de Becky e seus vizinhos (e que tiveram uma participação decisiva no primeiro livro) e Tarquin (primo de Suze, também podre de rico). Isso sem falar nos gerentes de banco e alguns personagens novos que são apresentados conforme a série avança (nesse livro conheceremos a mãe de Luke e o amigo Michael).

Certo, vamos à trama:
Becky está de volta, com seu consumismo compulsivo que a faz comprar tudo o que vê pela frente, sempre com uma justificativa qualquer para sua compras.

Mas agora ela tem controle dos gastos! Ou pelo menos é o que acredita, já que seu gerente de banco, Derek Smeath, está mais flexível sobre aumentar o limite de crédito do cheque especial dela. Fora isso, ele a aconselha a comparecer em reuniões para discutirem sobre os gatos excessivos e como isso pode prejudicá-la no futuro, porém Becky não dá ouvidos, nem quando ele anuncia que vai se aposentar e outra pessoa irá substituí-lo (mas isso porque ela estava pensando na liquidação de uma sapataria).

O emprego e o namoro vão bem, e Luke virou um típico workaholic que só pensa em expandir seus negócios – com planos de mudar para Nova York e intenção de levar Becky com ele. Enquanto negocia um novo emprego em alguma emissora de Nova York, Becky continua gastando, sem perceber a encrenca na qual está se metendo.

Até que a bomba estoura: Os problemas financeiros de Becky são expostos e isso faz com que ela perca o emprego, as propostas de trabalho que tinha em Nova York e o pior: ela perde Luke.

Sem saída, ela retorna para Londres para tentar reverter a situação, mas seu novo gerente de cheque especial, John Gavin, não aceita ajudá-la, e ela se vê novamente sem saída, contando apenas com o consolo dos amigos e da família e sempre buscando uma solução para seu problema.

A partir daí não posso contar mais rsrs. Apenas acrescento que essa parte se assemelha muito ao filme, que é uma mistura dos dois primeiros livros, como disse anteriormente. Muitas vezes eu tinha vontade de socar a Becky, porque ela agia sem pensar. Comprava coisas inúteis achando que um dia usaria… Luke era outro que eu queira socar às vezes. Quando eles romperam o namoro, eu fiquei desapontada com a reação dele, que foi bem egoísta. Depois é claro que fiquei com vontade de abraçar. rsrs

Como o primeiro livro, Delírios de consumo na 5a Avenida continua com o mesmo estilo de narrativa, explorando ainda mais o problema de compulsão de gastos, mas dessa vez com uma pitada a mais de romance.

A leitura dos livros sempre flui rápida por causa da forma cômica que Sophie Kinsella usa para mostrar os problemas de Becky. O modo de Becky pensar é muito engraçado, não tem como negar, a participação dos amigos e de Luke só ajudam. E mesmo quando Becky está falando sério, a leitura não é cansativa, porque a trama prende a nossa atenção e a partir daí não queremos mais largar o livro até terminar.

Essa resenha ficou maior que o esperado, sorry. rsrs Mas não consegui diminuir mais.

Ficha técnica:
Nome: Becky Bloom: Delírios de consumo na 5ª avenida
Nome original: Shopaholic abroad (Reino Unido)/Shopaholic takes Manhatan (EUA)
Autora: Sophie Kinsella
Editora: Record
Páginas: 460
Avaliação: 5 sapatos Prada

9 respostas em “Resenha: Becky Bloom: Delírios de consumo na 5ª Avenida, Sophie Kinsella

    • Eu acho que vc vai preferir sempre o primeiro livro, Ily. hahaha
      O negócio é que às vezes fica repetitivo, porque ela sempre vai ter uma crise e gastar demais.

  1. Foi nesse livro que, como você já disse, eu comecei a querer “bater” na Becky. Tudo bem, no primeiro livro funcionou o fato de ela ser uma shopaholic, o que aliás é o tema do livro. Mas tem certas cenas que a gente fica pensando “COMO ASSIM a Becky não aprendeu?”. Eu acho que tinha como a Sophie continuar com uma personagem shopaholic e engraçada, mas que ainda tivesse alguma evolução da personagem.
    Eu também quis “bater” no Luke, mas depois eu logo mudei de ideia hahaha porque ele merece um troféu por aturar a Becky HAHAHA! Mas sim, eu também tenhos momentos em que fico com raiva do Luke, mas admito: a Becky me irrita mais hahaha!
    Mas mesmo com esses pontos, o livro É MUITO BOM!!! Os personagens secundários são maravilhosos e é muito legal toda a evolução deles! E as cartas que a Becky recebe do banco me fazem chorar de rir SEMPRE!XD E eu gosto muito da Suze!

    • Aí é que está: O livro fala de uma pessoa viciada em compras. É uma série muito grande pra falar sempre do mesmo assunto e a personagem fazendo as mesmas burradas, mas eu gosto de como a Sophie conduz a história. Se essa série tiver um fim, vai ser Becky Bloom entra para os Shopaholics Anônimos, porque ela precisa definitivamente se tratar.

      Aliás, acho até que ela aprende. Ela tem umas crises de consciência que caem sempre quando ela percebe que foi longe demais, mas infelizmente isso só acontece quando a bomba explode. Só que, quando se tem um vício, basta qualquer coisa para você se desestabilizar, qualquer tentação, que vc tem uma recaída. E a gente sabe que a Becky é muito fraca pra resistir às liquidações. hahahah

      Esse livro retrata ainda mais o problema da Becky do que o livro anterior. O primeiro foi meramente uma introdução, esse aí mostra a verdadeira extensão do problema.

      E claro que pra toda a encrenca, a autora vai colocar uma solução. Eu gostei muito de como a Becky deu a volta por cima no final do livro. Já o terceiro, eu acho que ela manera nos gastos, porque o livro é focado para outro ponto, mas aí no quarto, volta tuuuudo de novo…

      A Suze é muito legal! Ela ainda tenta dar uma força pra Becky não gastar, mas quem disse que consegue? hahaha E as cartas, em todos os livros têm cartas e elas são hilárias. Em alguns ainda mostram e-mails.

      O Luke é de aço pra controlar a Becky, apesar de nem sempre conseguir. O que salva ele é o bom humor. Mas eu acho ele tão manipulador quanto ela. hahaha

      [SPOILER DO PRIMEIRO LIVRO, NÃO LEIAM SE NÃO QUEREM SABER!!!] no primeiro livro, ele aceita os argumentos da Becky no final, mas não fala se vão restituir a família que foi prejudicada com a mudança do fundo de investimento. Então deu em nada, praticamente. hahaha

      • Eu também adoro como a Sophie conduz a história (se não eu nem teria ido correndo ler Mini Shopaholic hahaha), e realmente a Becky é viciada mesmo em compras, mas… Fica cansativo. E eu nem digo as pequenas coisas, porque dá para relevar, todo mundo tem recaídas. Mas tem certos pontos, aqueles em que ela faz as burradas IMENSAS, que acabam me cansando…
        Aliás, esse segundo livro nem foi o grande problema, até que eu gostei do plot. Mas nos próximos livros, tem momentos que… AI BECKY!!!
        O terceiro é o livro que eu mais AMO e provavelmente deve ser por causa disso: foca menos nos gastos (e tem mais Luke!XD).
        O Luke é muito manipulador mesmo hahaha! Acho que é o lado workaholic que existe nele! E ele deve gostar MUITO da Becky, porque ele deixa muita coisa passar… Mas às vezes eu não consigo chegar a conclusão se ele não tenta com toda a vontade que há nele, ou se ele tenta mas mesmo assim a Becky consegue o enrolar!XD

  2. Sou sincera nessas horas: tenho mais vontade de bater na Becky no quarto livro. Até o terceiro, por mais que tenha partes que eu quero dar um tapa na cara dela pra ver se ela acorda, eu aguento, é engraçado e ela é viciada sim, e isso não some da noite pro dia. Mas quando chega na parte da irmã dela a vontade de espancar fica incontrolável. Ainda não li mais livros da série, mas vou ler só pra ver se eu faço as pazes com a Ms. Shopaholic. hehehe

    • Hahah! Ainda chego na parte do livro da irmã de Becky Bloom. Esse foi o que menos gostei, mas que de certo modo foi um tapa na cara da Becky (explico quando fizer a resenha XD). Uma amiga minha disse que foi o favorito dela, então tá… rsrs

      Sobre o livro seguinte, não sei dizer se ela melhora, Mari… rsrs. O foco muda de novo, apesar de ela continuar gastando.

  3. Estou anciosisimo para ler o segundo volume dessa nossa querida compradora compulsiva.
    Realmente é complicado o problema que ela tem.
    Afinal, pensa comigo…A garota compra coisas que nem usa, mas é complicado.
    Amei o primeiro. Claro, teve vezes em que pensei.. (Menina, pelo amor de Deus, pare de gastar!!
    Adorei a resenha, realmente me fez ter vontade de ler o segundo livro.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s