Meu Autor de Cabeceira: John Green

Howdy people! Peço desculpas pelo “desaparecimento” do Autor de Cabeceira durante as últimas semanas: uma infinidade de imprevistos influenciaram o curto abandono da nossa coluna semanal, imprevistos que também reduziram a quantidade de livros lidos durante esse período e consequentemente, a quantidade de resenhas. Voltando à nossa programação normal no entanto, trago hoje pra vocês um autor contemporâneo que entrou na minha lista de autores preferidos não como garoa, mas sim como um furacão: John Green!

John Green nasceu em Agosto de 1977, na cidade de Indianapólis, Estados Unidos. Ele se formou no ano 2000 em Inglês e Estudos Religiosos. No início de sua carreira, Green escrevia críticas de livros para periódicos como a Booklist Magazine e para o New York Times. Seu primeiro livro, Quem É Você, Alasca? (Looking for Alaska) – resenha aqui – foi publicado em 2005, e em 2006 ganhou o prêmio Michael L. Printz, que é um prêmio da ALA (American Library Association) por “excelência em literatura para jovens adultos.”

Em 2007, John e seu irmão Hank criaram o Brotherhood 2.0, um projeto no qual eles não poderiam se comunicar via texto durante um ano. Os vídeos entre os dois fizeram tanto sucesso que após o término do projeto original (que teve a duração de um ano), John e Hank criaram o website Nerdfighters e continuam postando vídeos toda semana sobre os assuntos mais diversos. Se vocês nunca pararam para ver os vídeos dos “vlogbrothers” como eles são conhecidos, comece com os vídeos de Thoughts from Places: meu preferido é o de Los Angeles após o tsunami + terremoto no Japão.

John Green também é o autor de An Abundance of Katherines (resenha aqui), Paper Towns,  e escreveu Will Grayson, Will Grayson juntamente com David Levithan (resenha aqui). Também é de autoria de Green a “longa história curta” A Cheertastic Christmas Miracle no livro Let It Snow, que também conta com a participação de Maureen Johnson e Lauren Myracle. Green também escreveu “The Great American Morp” para 21 Proms, “The Approximate Cost of Loving Caroline” para Twice Told, e “Freak the Geek” para Geektastic. Ele também escreveu (embora ainda não esteja completa) a história interativa This is Not Tom, que você precisa solucionar os mistérios para poder ler. Infelizmente ainda não tive tempo para começar, mas This is Not Tom está definitivamente na minha lista de coisas para fazer em breve!

Com uma narrativa carismática e personagens com os quais nós conseguimos nos identificar – sejam eles Pudges ou Alaskas – John Green nos conta histórias simples mas fascinantes, que nos fazem pensar, rir e chorar. Histórias que, acima de tudo, nos fazem querer mais, sempre mais e é exatamente por isso que ele se tornou meu autor de cabeceira.

Seu novo livro – ainda sem título, sobre sobreviventes de câncer e pela primeira vez tendo uma personagem feminina como narradora – será lançado em 2012. As leituras que John Green fez do primeiro capítulo só me fazem ansiar ainda mais pela oportunidade de ler mais uma obra desse autor maravilhoso.

Onde encontrar John Green

Vlogbrothers
Brotherhood 2.0
Nerdfighteria
In Your Pants
Site Oficial
Tumblr
Twitter
Twitter sobre esportes

Para comprar os livros de John Green (infelizmente somente Quem É Você, Alasca? tem tradução para o português) vocês podem visitar a Livraria Cultura, que tem os títulos principais do autor.

Espero que vocês tenham gostado da escolha e que se não leram nenhuma obra de John Green ainda, se inspirem para conhecer o trabalho fantástico do terceiro Jota no meu Trio de Autores Prediletos! Para encerrar, deixo vocês com algo que Green diz em seu último vídeo. Ah, e é claro… DFTBA!

“Eu escrevo livros e faço vídeos porque me inspiro em vocês, para tentar contar histórias que serão interessantes e que espero que sejam úteis. Eu vi a minha vida ser mudada por livros, e honestamente não há inspiração maior do que a oportunidade de fazer isso por outras pessoas.” – John Green

5 respostas em “Meu Autor de Cabeceira: John Green

  1. Ah, eu ainda quero ler Quem é você, Alaska! Vc falou tão bem desse livro, que fiquei com mta vontade de conferir.
    Espero que outras obras dele sejam logo traduzidas para o português.

    • Alaska é DEMAIS! O mais interessante é que ele diz não gostar muito de Alaska. Quero muito ler Paper Towns. A linguagem dele é tranquila pra ler, Lu, dá pra ler na língua original sem problemas!

  2. Parceira, você e seu amor por Jonh Green me convenceram a colocar mais um livro na lista. Ai ai ai, viu! Mas “Quem é você, Alasca?” já virou uma meta de leitura também. =)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s