Resenha: O Noivo da Minha Melhor Amiga

Não sou uma grande fã de chick-lits porque sempre acabo achando as personagens principais extremamente chatas. Com “O Noivo da Minha Melhor Amiga” eu já sabia que não seria diferente, mas uma promoção de 60% de desconto provou ser todo o incentivo que eu precisava para levar Emily Giffin para casa.

Em O Noivo da Minha Melhor Amiga (Something Borrowed, em inglês), Rachel é uma advogada entediada com seu trabalho em Manhattan. Ela também é a madrinha do casamento de sua melhor amiga Darcy com Dexter, seu amigo de faculdade. Alguns meses antes da grande data, Rachel comemora seu aniversário de 30 anos refletindo como ainda não tem nenhuma das coisas que pensou que teria antes do grande 3 ponto 0: um trabalho glamuroso, marido e filhos. Após Rachel beber um pouco além da conta, Dexter a leva para casa, onde eles acabam passando a noite juntos. No dia seguinte Rachel se sente culpada mas decide tentar esquecer o que aconteceu, acreditando que tudo não passou de um erro de pessoas embriagadas. Eles fingiriam que nada havia acontecido e os planos para o casamento continuariam de vento em popa. Isso dura até Dexter confessar que não estava bêbado e sabia perfeitamente o que estava fazendo, o que acaba mexendo com os sentimentos de Rachel até ela perceber que está apaixonada pelo noivo de sua amiga de infância.

Dex então pede para vê-la mais uma vez, Rachel aceita e eles começam a ter um caso. À medida que a paixão de Rachel por Dex aumenta, aumenta também sua percepção de como Darcy sempre teve tudo de melhor, muitas vezes à custa da felicidade de Rachel.

O meu grande problema com esse livro foi a maneira com que tudo se arrumou para que Dexter saísse da situação não como o homem que tem um affair às vésperas de seu casamento, mas como o noivo incompreendido, da mesma forma que Rachel se afirma como a pessoa que deu à Darcy nada mais do que ela merecia – mesmo que essa percepção seja apenas para os leitores. Entretanto, apesar das maquinações de Emily Giffin para que Rachel e Dex saíssem como os heróis da história na visão do leitor não terem funcionado para mim, esse também é um dos pontos fortes da narrativa: a noção de que certo e errado são conceitos mutáveis, e que a teoria do 8 ou 80 não funciona realmente na vida real.

Para quem quiser acompanhar a história de Darcy após a traição de Dex e Rachel, a continuação Something Blue (ainda sem tradução no Brasil) é uma boa pedida.

Ficha Técnica
Título: O Noivo da Minha Melhor Amiga
Autor: Emily Giffin
Editora: Nova Fronteira
Páginas: 352
Classificação: 3 estrelas

10 respostas em “Resenha: O Noivo da Minha Melhor Amiga

  1. Mas Parceira, a Darcy sai como vilã da história? Ela não é taxada como a mulher má ou a noiva idiota né? Porque eu fico meio nervosa quando vejo isso em filmes assim de romance que sejam parecidos com a idéia do livro… parece forçado para que os protagonistas fiquem juntos. =/ Aí não fica uma coisa que dá para acreditar.

    • Foi isso que eu achei forçado… ela sai como a noiva traída para os demais personagens, mas para o leitor – que sabe tudo que aconteceu – ela saí como a mulher má, que simplesmente recebeu o que merecia, sabe? E foi isso que não convenceu pra mim. É uma leitura fácil e agradável, mas infelizmente cai no que eu não gosto em chick-lit: a personagem principal se torna chata. A Darcy, especialmente depois da resolução nos últimos capítulos, acaba se tornando uma personagem muito mais interessante do que a Rachel…

      • Pois é. Eu nem li o livro e fiquei mais interessada na história da Darcy. Ainda bem que a autora resolveu fazer um livro para ela né, é o mínimo que ela merece depois de ser traída e ser taxada como a má! hahaha🙂

      • Taxar a noiva de chata, boba, horrorosa e malvada é uma saída bem conveniente, não? Eu tenho MUITA preguiça disso em Chick-Lit. Acaba ficando previsível e esteriotipado demais.

  2. Na verdade, quem consegue ver através da Dary, percebe como ela é manipuladora (o amigo da Rachel, mesmo) e tendenciosa – sempre fazendo tudo brilhar pra ela, meio que tirando o gostinho de vitória da Rachel, isso desde a infância. É daquele tipo de pessoa que precisa de uma amiga que seja “menos favorecida” (em sentido de beleza, dinheiro/emprego, status, até de QI) para se auto-afirmar e acreditar como ela mesma é legal e bem de vida. Bem egocêntrica também.

    Fora o círculo de amigos mais íntimos, realmente ela vai ficar taxada como a noiva traída. Não que eu goste de algum final, eu achei o Dex muito FDP em algumas partes… Nossa, que raiva tive dele! Acho sim que o livro é realista, que mostra que certo e errado não é algo imutável, depende do ponto de vista de quem vê, de que lado você está. Mas não sei, preferi muito mais Ame o que é seu.

    • Ai. Fiquei um pouco em choque depois que eu ouvi isso. Eu já tive amiga assim… e não foi uma nem duas, blé, e é horrível. Ainda bem que me livrei delas! (risada maligna)
      Não atirei ninguém no barranco… (meu instinto sonserino até manda isso né!), apenas a vida que separou… É o natural em situações assim, né. Se as pessoas não acrescentam na sua vida, em algum momento acabam saindo da sua vida. Os fortes e verdadeiros permanecem!

    • Então, mas a Darcy ser assim só me deixou com mais raiva da Rachel. Porque eu acredito que as pessoas só fazem com a gente o que a gente deixa que elas façam, sabe? E o que eu senti foi que a autora colocou o final do jeito que foi pra gente não ficar com raiva da Rachel, meio que “ah, a Darcy tomou o que merecia”, mas não conseguiu me convencer e esse é o meu maior problema com o livro. Eu acho que por mais que a Darcy fosse uma fdp, a Rachel foi fdp no mesmo nível e talvez ainda mais, porque ela parecia realmente gostar da Darcy, o que pra mim triplica a traição dela.

      Affe, nem me fale no Dexter. Eu torci tanto pra ele sair do prédio e ser atropelado por um ônibus! UGH!

  3. Eu imagino que esse Dexter deve ter saído da situação super clean, né? Tipo, o cara trai e todo mundo fica com dozinha… Preguiça mor.

  4. Ainda bem que alguem leu esse livro pra eu nao ler! hahaha eu achei a ideia interessante depois que vi o trailer do filme…
    mas realmente… o cara que traiu!!!
    E qto a mulher ter o que merecia…bom… ela merecia hahaha…. é um livro, acho que todo mundo pode sei lá…se relacionar…tipo eu… eu me considero uma pessoa que deixa as pessoas falarem ou fazerem algo comigo sem eu perceber…e qdo eu percebo, me sinto a maior idiota do mundo…e querendo vingança e tudo! Mas o sentimento sempre passa ne…e fica a lição (é o que eu digo para mim mesma…)

  5. não li o livro, mas acho que na verdade Rachel escolheu entre ela e a sua melhor amiga, ela tem um bom coração so que se sacrifica pela felicidade dos outros… ela o ama ele mas ama ainda mais sua amiga…na minha opinião quantas e quantas pessoas não fizeram isso por alguém que ama…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s