Resenha: Spell Hunter

Dentro do grande Carvalho existe um reino de fadas, cheio de segredos ao invés de mágica. Há muito tempo as fadas perderam sua magia misteriosamente. Roubadas de seus poderes, elas se tornaram egoístas e enfadonhas. Agora os seus números estão diminuindo e a sobrevivência de sua espécie está em jogo.

Apenas uma jovem fada – Knife – está determinada a descobrir o que aconteceu com a magia de seu povo e a tentar recuperá-la. Ao contrário de suas irmãs, Knife é forte e independente. Ela não tem medo de nada – dos corvos perversos, da rigorosa Fada Rainha, nem mesmo dos humanos fascinantes que moram ali perto. Mas quando Knife desobedece a Fada Rainha e torna-se amiga de um humano chamado Paul, sua jornada se torna mais perigosa do que ela imagina. Será que Knife pode confiar que Paul irá ajudá-la ou ela trouxe as fadas ainda mais perto de sua destruição?   Fonte

Spell Hunter ficou na minha lista de espera por quase 6 meses. Após ler uma resenha extremamente positiva no GoodReads, eu o adicionei à minha lista de desejos, e lá ele ficou até o fim de semana passado, quando finalmente eu senti que estava na hora de dar uma chance às fadas. Confesso que não me decepcionei.

Knife – ou Bryony como se chama no começo do livro – é uma fada curiosa. Ela não se lembra de como as coisas eram antes de seu povo perder sua magia e vive se questionando se os humanos que vivem na casa ali perto são realmente tão malignos quanto as fadas os julgam. É movida pela curiosidade que um dia ela se aventura até um galho do carvalho e dá de cara com uma criança – Paul. As fadas mais velhas ficam tão agitadas por Bryony ter tido um contato tão próximo com a criatura monstruosa que a tiram de sua mãe adotiva e contam a ela como o contato com os humanos é o que causa o Silêncio – doença que ameaça extinguir as fadas permanentemente.

Quando Bryony se torna adulta, passa a ser uma caçadora – ela tem que buscar comida no mundo dos humanos – e muda seu nome para Knife, ela se vê sugada pela vida além do grande Carvalho, e consequentemente por Paul, a quem ela reencontra em uma situação inusitada, e de quem não consegue se afastar apesar de todos os riscos, e apesar da proibição explícita da Fada Rainha.

Spell Hunter é uma história sobre a superação dos obstáculos que a vida coloca na nossa frente, e tanto Knife quanto Paul demonstram isso no decorrer desse livro. Insatisfeita com o que tem, Knife sai em busca de algo mais; e inconformado com seu destino, Paul decide que precisa retomar sua vida da melhor maneira possível. Para isso, eles precisam um do outro, de suas experiências, de suas crenças, de suas culturas. Recheado de mistério do começo ao fim – o que aconteceu com a magia das fadas? A Rainha está por trás disso tudo? Por que as fadas acreditam que os humanos são monstros? – Spell Hunter é uma leitura extremamente agradável que vai te envolver do começo ao fim, tendo a grande pergunta – o que a amizade improvável entre Paul e Knife significa para as fadas – respondida apenas nas últimas páginas.

Ainda sem tradução em português, Spell Hunter (cujo título original era Knife) é o primeiro livro da série Faery Rebels, cujo segundo (Wayfarer) e terceiro (Arrow) já foram lançados no exterior.

Ficha Técnica
Título: Spell Hunter (Faery Rebels #1)
Autora: R.J. Anderson
Editora: Harper Collins
Páginas: 327
Classificação: 5/5 estrelas

8 respostas em “Resenha: Spell Hunter

  1. Que interessante a história! Eu ando ouvindo muito sobre ficção com fadas, e essa realmente tem uma história interessante… nada de romance, mistérios e uma história que parece bem sólida e prende a atenção. Deu vontade de ler, pena que ainda não tem em português! (ok, eu deveria me esforçar e ler mais livros em inglês, que coisa feia!)

    • Não é uma leitura difícil de se fazer em inglês, não Parceira. É bem tranquila, viu? Eu acho que a maneira com que a Knife narra as coisas, tentando entender tudo é muito real… e a dor do Paul, apesar dele não ser o narrador, também é muito real. Nunca tinha lido um livro sobre fadas, mas confesso que me apaixonei!

  2. Nossa, eu realmente nunca li nada sobre esse livro. Aliás, confesso que eu nunca li nada sobre livros de fadas… Mas achei muito interessante a história! Pena que acho que vai ser difícil de eu conseguir comprá-lo por aqui, já que não tem em português e ele não é famoso para eu conseguir achá-lo em inglês (ou pelo menos por aqui não é!).

  3. Fadas! Gente, eu adoro fadas mas nunca li nada assim mais com foco nelas… Poxa, vou ler esse livro sim.(Gente, minha lista só tá crescendo… tá gigantona!).

  4. Eu já tinha visto a capa desse livro, acho que foi no goodreads. Eu fiquei bastante interessada, mas com tanta coisa pra ler, nem dá pra cogitar procurar ele em inglês – ainda mais q sou lerda…

    Em todo o caso, estou fazendo uma nova lista de leitura para o ano que vem, quero acrescentar esse livro. rsrs A série já tem tres livros? Será que vai ser daquelas q se prolongam demais? Espero que não, Blue Bloods já conta com 8 livros e antes eram 6! Ninguém merece. hehehe

    Adorei a resenha Ily! Sempre quis ler alguma coisa sobre fadas, esse livro atiçou minha curiosidade!
    Bjos bjos!

  5. Pingback: Retrospectiva Literária « Viajando Sem Dinheiro

  6. Pingback: Top Ten Tuesday: 10 Livros que estou Mais Empolgada para ler em 2012 | Por Essas Páginas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s