Top Ten Tuesday: Autores Que Eu Gostaria De Ler Mais Um Livro

Quem é viva, sempre aparece. Não pude terminar de escrever o último TTT (mas tive que lidar com um monte de coisas da vida real, tipo uma novela mexicana!), mas cá está o de hoje. A iniciativa é do blog The Broke and the Bookish! ♥


1. Anne Rice
Eu conheci Anne Rice no percorrer da minha adolescência e minha mãe sempre me instigou a ver filmes como Drácula (assisti quando tinha 8 anos) e outros filmes relacionados ao tema vampiresco. Confesso que não li todos os livros desse tema de Anne Rice, não na íntegra, mas às vezes vemos livros sendo escritos porque… querem massagear o ego da autora. Com ela, ao contrário, sempre senti que ela incluia assuntos que me interessavam, como a cultura da mulher na sociedade (com o romance A Rainha dos Condenados) ou a estrutura familiar patriarca que mudou e não mudou desde o século passado. Recentemente, Anne Rice converteu-se em cristã, passando a escrever sobre anjos e criaturas celestes. Ainda não tive a oportunidade de ler esses romances, mas lá no fundo, gostaria muito de vê-la escrever mais um livro sobre o universo de vampiros que criou. Especialmente alguns fios soltos dentre crossovers de personagens.

2. J.K. Rowling
Ok, não sou A fã assídua dessa autora, apesar de amar Harry Potter. O que eu acho que ela deveria escrever é um livro sobre certos personagens que não vimos muito o “desenvolvimento”. Como o Draco, porque ele sempre é tachado como um GRANDE vilão, mas acho que há muito mais nele do que ser somente o garoto escroto que azucrina a vida dos outros em inúmeros níveis. Para falar a verdade, qualquer coisa vinda desse universo ou um novo, seria tão bem vindo.

3. Helen Fielding
É uma das minhas heroínas. Quando não estou naquele humor corta pulso e escrevo mil páginas de pura especulação emocional, tendo a puxar para o lado do humor chick-lit que descobri em Helen Fieliding. Você imagina Bridget Jones tendo de lidar com a vida de… casada? (!) Os leitores vão entender e para quem acha que Bridget Jones deveria ficar assim pra sempre, ora essa, quem leu Becky Bloom aí? Ela continuou a mesma apesar de tudo o que aconteceu. Não sei, Bridget Jones é o meu porto seguro. De que mesmo que eu acabe uma quarentona solteira, EXISTE um Mark Darcy para mim. Ou uma Elizabeth Bennet. (pegaram?)

4. Douglas Adams (falecido)
Eu achava que não era tão nerd assim, que era só um modo da sociedade me taxar como quem etiqueta um item do supermercado. “O Guia do Mochileiro das Galáxias” foi um presente que eu me dei de aniversário ano passado. O humor contido em cada livro… cada palavra é uma inspiração e cada livro é uma experiência profusa de pensamentos viciosos e gargalhadas. Porque a escrita dele foi e é importante pra mim: me ajudou a descobrir que vários aspectos da minha vida não estavam errados, mas era a opinião dos outros. Então, reservo as palavras que quero dizer agora para pularmos ao próximo autor.

5. Stieg Larsson (falecido)
Chega a ser uma história cinematográfica. O cara escreve a trilogia, entrega para o seu editor e morre antes mesmo de vê-los publicados. Todos sabem que é um best-seller internacional (todos os 3 livros), mas não seria espetacular vê-lo desenvolver outras histórias que pudessem, igualmente, explodir nosso círculo de pensamentos preguiçosos? Porque alguns livros a gente lê para relaxar, como quem assiste tevê sem prestar atenção no conteúdo de verdade. Essa trilogia prende a atenção porque se deixar passar um detalhe… oh-oh.

6. Janet Fitch
Para aqueles que não reconhecem o nome, vou dar uma ajudinha. “Deixe-me Viver”, filme de 2002 estrelado por Michelle Pfeiffer e Alison Lohman, conta a história de Ingrid, uma poeta e artista feminista que cria a filha Astrid até que um homem entra em suas vidas. Dentre desenrolamentos diversos, Ingrid acaba matando o namorado e vai para cadeia. O núcleo da história é a dificuldade de Astrid ao passar por vários lares adotivos enquanto lida com o trauma da relação que possui com a mãe. Sou meio suspeita, mas é o meu livro favorito. Tendo publicado somente 3 romances, eu REALMENTE gostaria de vê-la escrever outra história. É brilhante o jeito em que ela usa cada palavra e metáfora para construir uma metáfora colossal da melancolia.

7. Jane Austen (falecida)
Preciso dizer alguma coisa? Não li todos, mas posso dizer que é um dos autores que você ama ou odeia. Se você ama, pode explicar cada pensamento em minha cabeça quando penso sobre os livros que ela poderia ter escrito. Mais é sempre melhor, em todas as ocasiões.

8. Stephenie Meyer
Não vou chegar a julgamentos, pedras e flechas no joelho. Só expressar minha humilde vontade que ela escreva mais e mais.

9. Sophie Kinsella
Eu sei que ela acabou de lançar um livro, mas é aí que está. Becky Bloom vai acabar aí? NÃO. ME DÊ MAIS BECKY BLOOM, MAIS, MAIS E MAIS!

10. F. Nietzsche (preciso mesmo falar falecido?)
Ultimamente, não tenho conseguido me concentrar nem em livros fáceis de leitura, mas o que me frustra é não ler o que ele já tem – para começar a reclamar que quero mais e mais livros. Só li trechos e teorias inspiradas em Nietzsche, apesar de estar no meio de “Além do Bem e do Mal” e amando. O que eu gosto sobre Nietzsche é o modo que fala sobre questões que às vezes nem passar com muita frequência por sua mente, mas quando passa… a confusão existencial vai à mil.

5 respostas em “Top Ten Tuesday: Autores Que Eu Gostaria De Ler Mais Um Livro

  1. Preciso concordar sobre J.K. Rowling e Jane Austen… qualquer coisa que as duas escrevessem eu leria sem nem precisar saber do que se trata! A Jo ainda vai escrever e publicar outras coisas… sem ser Harry Potter… eu tenho esperanças!!!

    Também tenho vontade de ler Nietzsche… mas medo de me achar estúpida demais depois hehe. Quem sabe um dia eu crio coragem!!

  2. Ai, Pan! To contigo quanto a JK e Douglas Adams. Eu leria até bula de remédio que eles escrevessem!!!
    Eu li muito Anne Rice na adolescência. Até que ela lançou Memnoch e mandou o Armand pro sol. Até hoje não sei como Memnoch termina. E nunca mais li o que ela escreveu depois disso. Nem mesmo O vampiro Armand. Tenho todos na prateleira, mas nunca mais consegui. Ela me deixou traumatizada.
    Comprei o livro aquele do anjo. Não consegui passar da segunda página. Não sei se o livro é ruim ou ainda é trauma de Memnoch. No entanto, o melhor livro dela é A hora das bruxas. Acho que se um dia ela resolvesse contar com detalhes as historias daquelas doze bruxas anteriores à Rowan, eu faria as pazes com a velha e boa tia Arroz definitivamente.
    Eu sinto falta do Lestat dos primeiros livros. ;___________; Aquele que batia panelas. Ele nunca mais foi o mesmo depois de Memnoch também… Maldito Memnoch! >.<"

  3. Eu tenho medo da Anne Rice. hahaha Pra ela ter traumatizado a Mi assim, a coisa foi séria.
    Mas sim! Queremos ver mais Becky Bloom, por favor! A Sophie Kinsella vai lançar outro livro agora em fevereiro, acho, que nao faz parte da saga da Becky, mas eu vou ler mesmo assim. hahaha

    Hm… Confesso que adoraria ler mais histórias de Sherlock Holmes escritas por Sir Arthur. Mas agora o que dá pra fazer é reler. rsrs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s