Meu Autor de Cabeceira: Agatha Christie

Agatha Christie nasceu em 15 de Setembro de 1890, em Torquay, Inglaterra. Embora seja considerada por muitos a Rainha do Crime (inclusive por mim), esse não é o motivo pelo qual ela é uma das minhas autoras de cabeceira. Tendo passado minha adolescência em meio à livros que meus pais amavam mas que eram um tanto quanto chatos pra minha idade, foi com prazer que coloquei as mãos em Assassinato no Campo de Golfe pela primeira vez, e desde então meu gosto pela leitura aflorou.

No decorrer de sua vida, Agatha casou-se duas vezes, teve uma filha e escreveu mais de 80 livros, criando dois personagens icônicos na literatura: Miss Marple e Hercule Poirot. Seu primeiro livro, O Misterioso Caso de Styles, foi publicado em 1920.

Pode-se dizer que o enredo na maioria dos livros de crime de Agatha Christie é basicamente sempre o mesmo, porém cada livro é diferente e surpreendente à sua maneira. Há um (ou mais) assassinato(s); um detetive é chamado e fatos são apresentados ao leitor; há um ou mais suspeitos e tudo parece muito óbvio; aí vem o detetive e aponta a pessoa que ninguém jamais desconfiaria como o assassino. Agatha também faz muito uso de venenos em suas tramas por ter trabalhado na farmácia de um hospital universitário em Londres durante a II Guerra Mundial.

Dois dos personagens mais queridos da literatura, como já falei, são de Agatha Christie: Miss Marple e Hercule Poirot. Particularmente, eu não gosto muito da Miss Marple, uma senhora que vive sozinha e atua como detetive amadora. Miss Marple aparece em 12 obras de Agatha Christie, das quais eu li apenas três: Convite para um Homícidio, Assassinato na Casa do Pastor e Um Corpo na Biblioteca.

Poirot, interpretado por David Suchet

Hercule Poirot no entanto, é meu preferido: o detetive belga que gosta que tudo esteja metodicamente arrumado e faz uso de sua “massa cinzenta” ao invés de lupas e apetrechos do tipo para resolver os crimes. Apesar de aparentemente não aprovar os métodos do detetive mais famoso do mundo, Agatha utiliza o estilo de seu criador, colocando Captain Hastings no caminho de Poirot. Cap. Hastings está para Poirot como Dr. Watson está para Sherlock Holmes, mas Agatha Christie logo se cansou de Hastings, pois ele aparece apenas em 8 histórias. Agatha logo cansou-se de Poirot também, o chamando de “insuportável” na década de 30, e de “verme egocêntrico” na década de 60. Agatha escreveu Cai o Pano (o último caso de Poirot) na década de 40, e trancou o manuscrito no cofre de um banco, planejando ter a obra publicada postumamente. Apesar de ter se cansado do personagem e de já tê-lo morto em seu banco, Agatha continuou escrevendo casos para Poirot resolver, e quando sua saúde começou a deteriorar em 1975, autorizou a publicação da última aventura do detetive belga. Hercule Poirot foi o primeiro – e único, até onde eu sei – personagem fictício a receber um obituário no prestigiado The New York Times, com a manchete: “Morre Hercule Poirot:  Famoso Detetive Belga“.

Das obras de Agatha Christie que eu já li, O Caso dos Dez Negrinhos é sem sombra de dúvidas a minha favorita. É um daqueles livros que você não consegue largar por um minuto, e o final, ah o final! Se eu tivesse que recomendar apenas um livro de Agatha Christie para alguém, seria O Caso dos Dez Negrinhos, publicado em 1939. O título foi motivo de controvérsia nos Estados Unidos por conta da palavra “nigger” que é considerada uma ofensa racial, e por isso o título norte-americano é And Then There Were None, e na rima do poema utilizado para os crimes, ao invés de “negros” temos “índios” e mais recentemente “soldados”. O Caso dos Dez Negrinhos é o livro mais famoso de Agatha Christie, com mais de 100 milhões de cópias vendidas.

Agatha Christie também escreveu 6 romances sob o pseudônimo de Mary Westmacott, além de peças teatrais, poemas, e peças para rádio e TV. Ela faleceu em 12 de Janeiro de 1986, causas naturais, aos 85 anos.

10 respostas em “Meu Autor de Cabeceira: Agatha Christie

  1. Não adianta, Sherlock Holmes domina.😄
    Mesmo porque ele utiliza lupas e apetrechos, mas o raciocínio dele é muito rápido. Acho que ele só perderia para Monsieur Dupin. rsrs

    Já li Assassinato do Expresso do Oriente e tinha O caso dos dez negrinhos aqui em casa, mas acho que sumiu. o.o Vou dar uma procurada.

    • Ah desculpa, mas eu sou team Poirot hahaha. Aliás, foi muito engraçado porque quando li Um Estudo em Vermelho e o Sherlock tira a lupa e começa a examinar pegadas, NA HORA eu lembrei do Poirot e podia vê-lo alisando o bigode e franzindo a testa hahahaha. É aquela coisa: ele pode ser um verme egocêntrico, mas ele inspira confiança. Tem um assassinato e Poirot está lá, a gente sabe que será tudo esclarecido. E eu também acho demais o raciocínio dele, adoro, adoro, adoro!

      E sim Lu, leia O Caso dos Dez Negrinhos. Eu ficava imaginando o tempo todo como ela iria trabalhar a morte de acordo com o poema e a cada morte eu me surpreendia mais e mais e mais!

    • Ainda não li, mas eu a quero desde a minha adolescência! Achei pra comprar no Nook, mas esse é um dos livros que eu quero ter nas mãos, sentir o cheiro, passar as páginas haha

  2. Eu tenho uma opião não muito formada sobre a Agatha Christie hahaha!
    Eu li diversos livros dela, incluindo livros do Poirot e Miss Marple. Mas foram poucos os livros que realmente eu gostei. Eu acho que tem vezes que ela tenta supreender tanto a gente, que a história fica meio forçada, sabe?
    Mas eu não posso dizer que não gosto dela, porque eu totalmente AMO “O caso dos dez negrinhos” (que se eu não me engano, aqui também mudou de nome para “E não sobrou nenhum”). Ele é um livro BRILHANTE! Tem outro livro também dela que eu amei mas não lembro o nome…
    Depois de tantas decepções, eu acabei parando de ler Agatha Christie rs!

    • Tiveram alguns livros dela que eu simplesmente não engoli (O Homem do Terno Marrom, O Cadáver Atrás do Biombo, Os Elefantes Não Esquecem), mas os mais famosos eu achei muito, muito bons – especialmente os que têm o Poirot haha. Mas O Caso dos Dez Negrinhos supera qualquer um deles, eu acho, é um livro brilhante! E nossa, não sabia que tinham mudado o nome aí também, eu pesquisei até mas não achei nada. Interessante! =)

      • Fui confirmar o que eu tinha falado. Na verdade, eu li o livro pela primeira vez em inglês, que eu peguei no curso de inglês. Eu comprei o livro faz pouco tempo em português, mas ainda não li. E realmente, mudou o nome: “E não sobrou nenhum”. E não é mais negrinho, é soldados na rima!

  3. Aiii Agatha *-*
    Adoro ela!
    Ela também me fez ter amor pela leitura. Minha mãe tinha vários livros dela, e depois que se acabaram, eu fui buscar nas bibliotecas da vida por aí. O legal é que eu sempre pegava as edições antigas, e eu adoro edições antigas.
    O Caso dos Dez Negrinhos é sensacional. Um dos melhores livros que eu já li. Acho que com certeza tá no Top 10. É brilhante, ela se superou mesmo. Eu achava que aqui não tinha mudado não o título, só se foi algo recente, porque quando eu e minha irmã lemos, era assim mesmo, o original.
    Eu acho que Agatha é uma escritora brilhante, mas que deve ser lida em doses homeopáticas. Não acho saudável emendar um livro dela no outro, porque realmente, as histórias seguem a mesma linha, mas a essência tá sempre lá. Eu sempre costumei ler uma vez um do Poirot… tempo/outro livro… outro da Miss Marple… tempo/outro livro… e outro sem um detetive específico.
    Eu sou mesmo a única que adora a Miss Marple? Parceira, leia “Mistério no Caribe”. É dela.. eu adorei! Foi um dos livros da Agatha e da Miss Marple que eu mais gostei. Me fez gostar da Miss Marple. =)
    Mas eu concordo… os casos do Poirot são mais interessantes. Mas eu não gosto dele, porque ele é um chato egocêntrico. Concordo com a Agatha em todos os xingamentos para ele! Eu não suporto ele! Tenho vontade de bater nele e arrancar aquele bigode fora fio por fio! hahahahaha *Slytherin mode*
    E eu já matei o Poirot! Eu li Cai o Pano! Eu tinha uma amiga que se recusava a ler até ler todos os casos dele. Mas são tantos e o livro tava boiando lá em casa… aí eu li! =)
    Adorei seu autor de cabeceira Parceirinha! Me identifiquei! hahaha😀 Agatha também acompanhou minha vida de leitora, e eu tenho um carinho especial por ela.

    • Que lindo, Parceira! Não sabia que Agatha era mais uma coisa que tínhamos em comum hehe! Obrigada pelo comment, fez meu dia!

  4. Vânia, primeiramente parabéns pelo blog. Você e suas amigas criaram um local onde se lê textos superagradáveis e que nos motiva ler mais e mais os livros em tela.
    Sobre Agatha Christie, foi a escritora responsável pelo aumento no volume de leitura que vivenciei na adolescência. Justamente quando a Editora Record lançou a coleção de livros em banca. Comprava e lia toda semana. Overdose!!!
    Sobre as personagens, sempre gostei de Poirot. Destaco “Os Crimes ABC”, “Assassinato no Expresso Oriente (lógico!)” e “Morte na Mesopotâmia”. Há um ensinamento neste último livro que carrego até hoje: o humor do líder contagia o clima do ambiente. Fantástico!
    Sobre Miss Marple, quando lia, não me empolgava com o fato de que uma senhora bordando na varanda pudesse solucionar casos comparando pessoas relacionadas ao crime com velhos conhecidos. Com o passar do tempo (e da idade), fui entendendo que há, realmente, pessoas parecidas em suas atitudes.
    Sobre o pior livro escrito por ela, destaco negativamente “Os Quatro Grandes”.
    Novamente parabéns e grande abraço!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s