Resenha: Eu Sou o Número Quatro

Nove crianças são mandadas às pressas para a Terra com seus guardiões após a invasão de seu planeta natal, Lorien. A cada criança é dado um número, o que impede que elas sejam mortas fora de ordem caso vivam separadas. Ao chegar na Terra, cada uma das crianças segue para lugares diferentes com seus respectivos guardiões e elas nunca mais se vêem enquanto crescem tentando escapar dos Mogadorians – raça que destruiu Lorien e agora está na Terra.

Eu Sou o Número Quatro conta a história de John Smith, um adolescente de 15 anos que sabe de onde veio e sabe que precisa desenvolver seus poderes (ou legados) para poder um dia voltar à Lorien. Ele está vivendo na Flórida quando descobre que os Mogadorians encontraram o Número Três, e agora é apenas uma questão de tempo até que cheguem até ele, que é o próximo da lista. Juntamente com Henri (seu guardião), ele se muda para a pequena cidade de Paradise em Ohio, e lá tenta levar uma vida pacata, longe de confusões. Isso se torna impossível quando ele se apaixona por Sarah, a ex-líder de torcida e ex-namorada do capitão do time de futebol americano. Pra complicar ainda mais as coisas, John faz um novo amigo – Sam, que é obcecado pela vida extraterrestre e acredita que seu pai tenha sido abduzido por alienígenas.

Bem elaborado e cheio de mistérios, Eu Sou o Número Quatro é o primeiro livro de uma série escrita pelos norte-americanos James Frey e Jobie Hughes sob o pseudônimo de Pittacus Lore (que é um personagem no livro). Com uma trama bastante interessante, o livro prende do começo ao fim mesmo que você já tenha assistido ao filme (o que foi o meu caso). No quesito romance, os autores pecaram pelo excesso, e a Sarah não se destaca de maneira alguma além de interesse amoroso do John até o final do livro. Terminando com algumas situações não resolvidas mas um destino traçado, Eu Sou o Número Quatro deixa as perguntas que não querem calar para os livros subsequentes, e embora não tenha um final que nos deixa roendo as unhas, eu mal posso esperar pelo próximo livro – The Power of Six – que será lançado nos Estados Unidos ainda esse ano e que conta a história de Marina, a número Sete.

O livro recebeu um grande público ao ganhar sua versão cinematográfica com John Smith sendo interpretado pelo aspirante à galã Alex Pettyfer, e Dianna Agron (Glee) dando vida à Sarah Hart. Vocês podem conferir minha resenha do filme aqui. Existem grandes diferenças entre o livro e o filme, e metade das coisas que me chamaram a atenção no livro não estão no filme. No entanto isso não quer dizer que o filme seja ruim, muito pelo contrário. A única coisa que eu realmente gostaria que não tivesse sido tão discrepante é o relacionamento entre John e Henri, que é muito bem trabalhado no livro, mas deixa a desejar no filme. Por outro lado, Sarah ganha um pouco mais de “sal” nas mãos de Dianna Agron, o que é muito bem vindo.

Eu Sou o Número Quatro será lançado dia 14 de Março pela Editora Intrínseca. Um detalhe interessante é que a capa utilizada na edição brasileira é a que tem Alex Pettyfer, parecida com a capa norte-americana da edição do filme, o que eu considero uma decisão sábia visto que a capa original é em um tom laranja não muito atrativo. O filme estréia nos cinemas brasileiros em 15/04. Não deixem de conferir ambos, é uma série que promete!

Ficha Técnica:

Título: Eu Sou o Número Quatro (I Am Number Four – Lorien Legacies #1)
Autor: Pittacus Lore
Editora: Harper Collins (EUA), Intrínseca (Brasil)
Páginas: 480
Avaliação: 4/5 estrelas

11 respostas em “Resenha: Eu Sou o Número Quatro

  1. Logo quando eu fiquei sabendo desse livro, pelo twitter da Intrinseca, fiquei muito curiosa! Por isso que quando eu soube que você o leu, queria saber a sua opinião se realmente valia a pena hahaha! E depois dessa resenha, com certeza vou ler! Parece ser bem o tipo de livro que eu gosto!XD
    E é claro que eu vou ler o livro antes de assistir o filme…

    • Vale muito a pena sim! É como eu disse, a série promete. Li o primeiro capítulo de Power of Six e também adorei, quero logo ver como a história vai se desenrolar, especialmente sem todo o blá blá blá amoroso de John e Sarah. E o filme vale a pena também, eu até já consigo ver o Pettyfer como Peeta hahaha

      • Bom pelas fotos ele nem de longe lembra o meu Peeta, mas quem sabe no filme ele não me convença?XD

    • Ele também não se parece com o Peeta da minha imaginação. Aliás, é meio como Sirius Black, nenhum ator vai se igualar com o da minha imaginação, mas ele é uma graça. Ainda não sei se quero ele como Peeta ou não, mas adorei ele em Number Four! No livro, eu me apaixonei pelo Henri e pelo Sam haha

  2. Oi Ily!!!! Nossas impressões ão bem parecidas!!
    A Sarah também não me convenceu… Eu passei o livro inteiro esperando ela dar uma “encorpada”, mas isso não aconteceu.
    Mas, fora isso, gostei bastante!!
    Ainda não vi o filme, mas assim que lançar por aqui, estarei no cinema!😉
    Beijos!!

  3. Pingback: Outras Mídias: Eu Sou o Número Quatro « Livros de Fantasia

  4. Pingback: Resenha: The Power of Six | Por Essas Páginas

  5. Pingback: Resenha: O Poder dos Seis « Por Essas Páginas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s